Pular para o conteúdo principal

Leituras 2013

Os 37 livros lidos em 2013


Dentre os 37 livros lidos em 2013, selecionei passagens em 19 livros, com destaque para o livro de ensaios Como ficar sozinho de Jonathan Franzen, os romances Mayombe de Pepetela e O jogo da amarelinha de Julio Cortázar, além dos baianos como Mayrant Gallo, Gláucia Lemos e Paulo Bono, e a evidência para a poesia, com o saudoso padre poeta Daniel Lima, o consagrado póstumo Paulo Leminski, o estreante irmão Tiganá Santana e o grande mestre baiano Ruy Espinheira Filho e sua vigorosa obra completa Estação Infinita e outras estações, o melhor que eu li este ano. Abaixo, você pode conferir, por ordem de preferência, quais foram os livros lidos, além dos que tiveram passagens selecionadas. Boa leitura!




"Quando manifesto meu desejo maior e mais sábio, chegou a hora de cessar o efêmero"

Estação infinita e outras estações
Ruy Espinheira Filho
Leia trechos aqui






"Trago em mim o inconciliável e é este o meu motor. Num Universo de sim ou não, branco ou negro, eu represento o talvez"

Mayombe
Pepetela
Leia trechos aqui






"É assustador imaginar que o mistério de nossas identidades pode se reduzir a uma sequência finita de informações"

Como ficar sozinho
Jonathan Franzen
Leia trechos aqui





"As únicas coisas que terminam de verdade são aquelas que recomeçam todas as manhãs"

O jogo da amarelinha
Julio Cortázar
Leia trechos aqui







"Alma não se lava no chuveiro"

O drible
Sérgio Rodrigues
Leia trechos aqui







Um operário em férias
(Record, 2013)
Cristovão Tezza









A queda
(Record, 2012)
Diogo Mainardi








"Nada aprendi na vida senão esta lição: que sou provisório e de passagem"

Poemas
Daniel Lima
Leia trechos aqui







Netto perde sua alma 
(Record, 2010)
Tabajara Ruas









"Livre significa: sozinho"

O filho eterno
Cristovão Tezza
Leia trechos aqui






"Temos o coração em pedaços. Inconscientemente, somos caçadores desses pedaços, buscamos refazer o antigo desenho"

Perseguição e cerco a Juvêncio Gutierrez 
Tabajara Ruas
Leia trechos aqui






O planalto e a estepe
(Leya, 2009)
Pepetela








"Quartos de hotel só servem para mostrar o quanto você é você só"

Espalitando
Paulo Bono
Leia trechos aqui







Marighella – O guerrilheiro que incendiou o mundo
(Cia das Letras, 2012)
Mário Magalhães









Walter Smetak – Som e espírito
(Coleção Gente da Bahia - ALBA, 2013)
Jessica Smetak Paoli








"Eu não me sinto sujo depois do sexo. Eu me sinto limpo, eu me sinto perfumado, eu me sinto enredado de nascimento. E não darei tão cedo minha memória para a água"

Canalha!
Fabrício Carpinejar
Leia trechos aqui





"Mulheres têm o hábito de falar em nosso lugar mesmo quando dizem que querem nos ouvir"

Contra um mundo melhor
Luiz Felipe Pondé
Leia trechos aqui







Gigantes do futebol brasileiro
(Civilização Brasileira, 2011)
João Máximo e Marcos de Castro









"A morte é o que a sinopse não abordou"

O oco-transbordo
Tiganá Santana
Leia trechos aqui





"Quem sou eu para falar com deus? Ele que cuide dos seus assuntos, eu cuido dos meus"

Toda poesia
Paulo Leminski
Leia trechos aqui




A casa dos nove pinheiros
(Dobra Editorial, 2012)
Ruy Espinheira Filho

Ensaio do vazio 
(7Letras, 2012)
Carlos Henrique Schroeder, desenhada por Diego Gerlach, Pedro Franz, Berliac, Manuel Depetris Obra e Leya Mira Brander

A guerreira da Lapinha
(Casarão do Verbo, 2012)
Elieser Cesar

Brasil – Uma história
(Leya, 2012)
Eduardo Bueno


"Não há felicidade sobre a Terra senão por um tempo, uns míseros segundos... Aliás, o estar feliz já é um desespero. Não se prolonga, não se perpetua. Estará sempre por um triz"

Os encantos do sol
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui





"A química da pele é uma porta escancarada para esse vírus miserável que une as criaturas. Você tem consciência de que o outro é uma porcaria, mas cadê que você é alguém para dizer: Vá embora, porra!"

Marce
Gláucia Lemos
Leia trechos aqui






"Acho que a injeção letal não será problema. O pior é a espera"

Salvador abaixo de zero
Herculano Neto
Leia trechos aqui






"O Gordo tinha uma teoria: mulheres se deitam à noite com possibilidades e despertam pela manhã com frustrações"

Cidade singular
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui



Chuva secreta
(Casarão do Verbo, 2013)
Állex Leilla

82 – Uma Copa, quinze histórias
(Casarão do Verbo, 2013)
Autores diversos


"Estamos nos distanciando dos animais de que descendemos para nos aproximarmos das máquinas que construímos"

As certezas e as palavras
Carlos Henrique Schroeder
Leia trechos aqui







"Uma foda como qualquer outra... ela com tantas e eu com tão poucas"

Talvez não tenha criança no céu
Davi Boaventura
Leia trechos aqui



A tristeza extraordinária do Leopardo-das-Neves
(Cia das Letras, 2013)
Joca Reiners Terron

Corpo de delito & Rip e Cal
(Cousa, 2013)
Saulo Ribeiro 

Barroca 
(P-55, 2011)
Mariana Paiva

Vocábulos caminhantes
(Cogito, 2012)
Juraci Tavares

Xing Ling 
(Solisluna, 2013)
Victor Mascarenhas

Comentários

Mayrant Gallo disse…
Trabalho fantástico, este, Mirdad. Congratulações! Feliz 2014, com mais livros, projetos, festas e tudo o mais.
Mirdad disse…
Obrigado, meu caro, eu que agradeço pelas obras sensacionais de Os Encantos do Sol e Cidade Singular! Feliz 2014, com mais livros e realizações! Grande abraço!
Edições preciosas para esses dias tão urgentes

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…