Pular para o conteúdo principal

A canção Dubious Question homenageia Pink Floyd

Orange Poem por Glauber Guimarães


A canção "Dubious Question", de Emmanuel Mirdad, faixa três do EP Crowd, da banda baiana The Orange Poem, traz uma homenagem ao Pink Floyd, principal referência do seu compositor. Nas três primeiras estrofes e refrões, Mirdad elaborou uma letra em que pega palavras soltas em letras de músicas do Pink Floyd e constrói um sentido psicodélico. Confere abaixo: 

1ª estrofe

1º verso: "What would the diamond be without Syd"

Homenagem à música "Shine on you Crazy Diamond", do álbum "Wish You Were Here" (1975), referindo-se ao título e ao homenageado da música, Syd Barrett (1946-2006)



2º verso: "and the dogs without the stranger at home?"

Homenagem à música "Dogs", do álbum "Animals" (1977), referindo-se ao título e ao trecho de sua letra: "Who was only a stranger at home?"



3º verso: "What would the paranoid be without the crowd"

Homenagem à música "Paranoid Eyes", do álbum "The Final Cut" (1983), referindo-se aos trechos de sua letra: "Behind paranoid eyes" e "Laughing too loud at the rest of the world with the boys in the crowd"



4º verso: "and the fear without the modern life?"

Homenagem à música "The Thin Ice", do álbum "The Wall" (1979), referindo-se aos trechos de sua letra: "You slip out of your depth and out of your mind with your fear flowing out behind you" e "If you should go skating on the thin ice of modern life"



1º refrão

1º verso: "Hey! Dubious entwined poppies"

Homenagem à música "Your Possible Pasts", do álbum "The Final Cut" (1983), referindo-se ao trecho de sua letra: "In derelict sidings the poppies entwine with cattle trucks lying in wait for the next time"



2º verso: "Hey! Dubious permanent gaze"

Homenagem à música "The Fletcher Memorial Home", do álbum "The Final Cut" (1983), referindo-se ao trecho de sua letra: "Safe in the permanent gaze of a cold glass eye with their favorite toys"



2ª estrofe

1º verso: "What would the haunted be without the leaden sky"

Homenagem à música "Sorrow", do álbum "A Momentary Lapse of Reason" (1987), referindo-se aos trechos de sua letra: "He's haunted by the memory of a lost paradise" e "Plumes of smoke rise and merge into the leaden sky"



2º verso: "and the hunger without desire and ambition?"

Homenagem à música "High Hopes", do álbum "The Division Bell" (1994), referindo-se ao trecho de sua letra: "Encumbered forever by desire and ambition, there's a hunger still unsatisfied"



3º verso: "What would the stairway be without the icy waters underground"

Homenagem à música "Astronomy Domine", do álbum "The Piper at the Gates of Dawn" (1967), referindo-se aos trechos de sua letra: "Stairway scares Dan Dare who's there?" e "Floating down, the sound resounds around the icy waters underground"



4º verso: "and the watcher without the darkness?"

Homenagem à música "Set the Controls for the Heart of the Sun", do álbum "A Saucerful of Secrets" (1968), referindo-se ao trecho de sua letra: "Over the mountain watching the watcher breaking the darkness"



2º refrão

1º e 2º versos: "Hey! Dubious misty morning" e "Hey! Dubious endless summer"

Homenagem à música "Grantchester Meadows", do álbum "Ummagumma" (1969), referindo-se aos trechos de sua letra: "In the sky a bird was heard to cry misty morning whisperings" e "And a river of green is sliding unseen beneath the trees, laughing as it passes through the endless summer, making for the sea"



3ª estrofe

1º verso: "What would the lunatic be without the rabbit"

Homenagem à música "Brain Damage", do álbum "The Dark Side of the Moon" (1973), referindo-se ao trecho de sua letra: "The lunatic is on the grass"



2º verso: "and the price without the proud men's conscience?"

Homenagem à música "Childhood's End", do álbum "Obscured by Clouds" (1972), referindo-se aos trechos de sua letra: "You shout in your sleep. Perhaps the price is just too steep", "Is your conscience at rest if once put to the test?" e "All the proud men turned to dust"



3º verso: "What would the labyrinths be without the echoes"

Homenagem à música "Echoes", do álbum "Meddle" (1971), referindo-se ao título e ao trecho de sua letra: "Overhead the albatross hangs motionless upon the air and deep beneath the rolling waves in labyrinths of coral caves"



4º verso: "and the warm night without the distant bells?"

Homenagem à música "Fat Old Sun", do álbum "Atom Heart Mother" (1970), referindo-se aos trechos de sua letra: "And if you hear as the warm night falls, the silver sound from a time so strange, sing to me" e "Distant bells, new mown grass smells so sweet"



3º refrão

1º verso: "Hey! Dubious Dr. Strange"

Homenagem à música "Cymbaline", do álbum "More" (1969), referindo-se ao trecho de sua letra: "Suddenly it strikes you that they're moving into range and Dr. Strange is always changing size and it's high time, Cymbaline"



2º verso: "Hey! Dubious breeze's eye"

Homenagem à música "The Nile Song", do álbum "More" (1969), referindo-se aos trechos de sua letra: "Soaring high above the breezes" e "I will follow in her shadow as I watch her from my window one day I will catch her eye"




A letra completa:

Dubious Question
(Emmanuel Mirdad)

What would the diamond be without Syd,
and the dogs without the stranger at home?
What would the paranoid be without the crowd,
and the fear without the modern life?

Hey! Dubious entwined poppies
Hey! Dubious permanent gaze

What would the haunted be without the leaden sky,
and the hunger without desire and ambition?
What would the stairway be without the icy waters underground,
and the watcher without the darkness?

Hey! Dubious misty morning
Hey! Dubious endless summer

What would the lunatic be without the rabbit,
and the price without the proud men's conscience?
What would the labyrinths be without the echoes,
and the warm night without the distant bells?

Hey! Dubious Dr. Strange
Hey! Dubious breeze's eye

What would be completed without the lack,
and who would be saved without someone to love him?
Perhaps no one would come without any one leaving,
and at dubious illusions the fool emerges...

Hey! Dubious psychedelic question




Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…