Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Aqui se paga no Conto Afora

A coluna CONTO AFORA, do blog do escritor Dênisson Padilha Filho, destacou hoje o conto Aqui se paga, de Emmanuel Mirdad, integrante do seu novo livro de contos, O grito do mar na noite, que está na boca de ser lançado. Clique e leia aqui.

Terminei de escrever o livro de contos Paisagem da insônia

Original de Paisagem da insônia, terceiro e último  livro de contos de Emmanuel Mirdad

Na manhã de hoje, 24 de abril de 2015, concluí a produção literária do meu terceiro e último livro de contos, Paisagem da insônia.

Foram investidas 38 horas e 45 minutos de trabalho em 24 dias, uma média de pouco mais de uma hora e meia por dia, em um trabalho que percorreu, esporadicamente, os meses de novembro e dezembro de 2012, novembro de 2014, e de janeiro a abril de 2015. Junto à produção iniciada no último dia 17 de abril, acrescentei os crônitos que publiquei no blog (e foram retirados do ar) e outros contos do meu arquivo, que foram revisados, totalizando 18 contos curtos, para variar a produção - Abrupta Sede, de 2010, traz 25 contos entre longos e curtos, e O grito do mar na noite, a ser lançado logo mais em 2015, apresentará 10 contos, a maioria longos.

Paisagem da insônia, cujo título foi pescado de uma crônica de Clarice Lispector, é dedicado ao escritor, mestre e grande amigo Mayrant G…

Cinco passagens de Carlos Barbosa em Beira de rio, correnteza

Carlos Barbosa em 2012 - Foto daqui

"Gero passeava o olhar do pai para o irmão, ambos cabisbaixos, silenciosos e tristes, enquanto a mãe retirava os pratos da mesa e servia o café a fumegar no bule. O amor familial, às vezes, veste trajes funéreos, escava fossos tremendos e dispara galope em direções opostas, quando tudo que ambiciona é estender braços e olhares sobre uma mesa de jantar e deixar escapar a verdade que o encorpa, pois todo o resto desimporta à sua existência incondicional. Gero não sabia que diante dele, pai e filho tornavam-se dois homens parelhos sentados à mesma mesa de uma mesma casa, ou seja, tornavam-se uma impossibilidade."


"O rio trazia vida, sempre. A correnteza levava vidas. O rio propiciava riquezas. A correnteza as destruía. O rio era o caminho, a correnteza era a perdição. O rio era abençoado, e a correnteza, proibida. (...) Era assim a correnteza: aqui não existia, ali arrastava com violência. Ao encontrar um obstáculo, ela que até aquele po…

Seleta: Dub Burning Spear

Álbuns dub de Burning Spear participantes desta Seleta

Burning Spear é um dos mestres lendas vivas do reggae, em atividade desde os anos 1970, com vários discos lançados. O blog destacou uma Seleta com 98 canções presentes em 22 álbuns de sua vasta obra (ouça aqui), E, na Seleta de hoje, as 42 melhores faixas dub da obra de Burning Spear, do período de 1976 a 2008, na opinião do fã Emmanuel Mirdad, presentes em 07 álbuns disponíveis na página do artista no site Grooveshark. Para escutar, baixa clicar no player abaixo.



Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

Repertório da Seleta Dub Burning Spear, de 1976 a 2008:

01) Cry Africa - Living Dub Vol. 2 (1980)

02) 2000 Years - Garvey's Ghost (1976)

03) John Burns Skank - Garvey's Ghost (1976)

04) World Dub - Living Dub Vol. 2 (1980)

05) I and I Survive - Garvey's Ghost (1976)

06) The Ghost - Garvey's Ghost (1976)

07) Teacher - Living Dub Vol. 2 (1980)

08) Black Wa-Da-Da Dub - Garvey's Ghost (1976)

09) Majestic Dub - Liv…

Hélio Pólvora assumiu a realidade

Emmanuel Mirdad e Hélio Pólvora em 2013. Foto: Edmilia Barros

Hélio Pólvora assumiu a realidade
Emmanuel Mirdad


O filho pergunta: “O que é ser homem, pai?” Ele responde: “Ser homem é assumir a realidade” Assim tão bem definiu o artesão do conto, o bastião do estilo refinado, da precisão sem excesso ou vaidade, o esteta do texto, Hélio Pólvora, o mestre, que faleceu aos 86 anos no último dia 26. Em seu conto Mar de Azov, do premiado livro homônimo lançado em 1986, pai e filho caminham à beira do mar, no sul da Bahia, e quando o jovem faz a pergunta primordial, a sapiência do mais velho acontece na síntese do sublime: assuma o que acontece, o que está ao seu redor, qual de você deve ser o único a afirmar-se vivo, com a coragem, dignidade e honradez de ser responsável por seus atos.

Hélio Pólvora é a minha esfinge. A sua obra, robusta, tem a sacralidade de um tomo ancestral, que exige de mim o respeito ao texto, ao papel que custou uma vida. Quando reviso o que escrevo, é o busto do mestre…

Terminei de escrever meu primeiro roteiro!

O roteiro de Muralha: O goleiro imbatível foi concluído hoje, 15 de abril de 2015.

Investi 172 horas e 40 minutos em 46 dias de trabalho, e a satisfação é enorme!

Agora é elaborar o projeto e cair pra dentro da captação com a Aláfia Filmes!

Quero agradecer às valiosas dicas do escritor e roteirista Victor Mascarenhas, que me fizeram modificar os rumos da história e torná-la mais interessante. Valeu demais, comparsa!

Aláfia!

Terminei de escrever meu primeiro romance!

Hoje, 14 de abril de 2015, acabo de concluir a produção literária do meu primeiro romance, Muralha: o goleiro imbatível! YEBA!

Foram investidas 356 horas e 15 minutos de trabalho em 98 dias, uma média de mais de três horas e meia por dia. A história do goleiro que nunca tomou gol foi planejada em 2012, iniciada em junho e julho de 2013, transformada em conto em outubro de 2014, adaptada para roteiro entre janeiro e março de 2015, e ampliada para o primeiro romance de uma trilogia em janeiro, março e abril de 2015.

Agora, é partir pra revisão e finalização. E o lançamento? Talvez no final do ano ou só em 2016. Aláfia!

Seleta: Burning Spear

Álbuns de Burning Spear participantes desta Seleta

Burning Spear (Winston Rodney, nascido na Jamaica em 1945) completou 70 anos no mês passado e é um dos mais importantes artistas jamaicanos em atividade, uma lenda viva do reggae, com vários discos lançados desde os anos 1970 e clássicos como Slavery Days, Cry Blood Africans e Hail H.I.M., entre muitos outros. Tem uma obra robusta, repleta de canções de louvor a Jah e de afirmação da negritude, e uma voz peculiar, como outros grandes ícones jamaicanos, tal Joseph Hill, Apple Gabriel e Peter Tosh. Na Seleta de hoje, as 98 melhores faixas da obra de Burning Spear, do período de 1973 a 2008, na opinião do fã Emmanuel Mirdad, presentes em 22 álbuns disponíveis na página do artista no site Grooveshark (muitos álbuns estão incompletos e os álbuns dub foram destacados na Seleta aqui). Para escutar, baixa clicar no player abaixo.



Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

Repertório da Seleta Burning Spear, de 1973 a 2008:

01) House of Reggae

Homenagem a Hélio Pólvora na Muito

Revista Muito - 05/04/2015
Uma singela homenagem ao mestre do conto, meu amigo, Hélio Pólvora (1928-2015), que saiu na revista Muito de hoje, edição de aniversário de 07 anos. Grato pelo espaço e parabéns pela data! Fico feliz pela oportunidade de lembrar do nosso escritor primoroso. Luz!