Pular para o conteúdo principal

Leituras 2015

Os 63 livros lidos e relidos em 2015


Dentre os 63 livros lidos e relidos em 2015, selecionei passagens em 52 livros, com destaque para os contos de Anton Tchekhov, Dino Buzzati, Guy de Maupassant, Sérgio Sant'Anna e Clarice Lispector, e os romances de Gonçalo M. Tavares, Cristovão Tezza, Ondjaki e Dino Buzzati. Além disso, divulguei os lançamentos de escritores baianos como Lívia Natália, Mayrant Gallo, Carlos Barbosa, Tom Correia e Victor Mascarenhas, entre outros. Abaixo, você pode conferir, quais foram os livros lidos e relidos, além dos que tiveram passagens selecionadas. Boa leitura!




"(...) Por mais esplêndida que seja a aurora que ilumine a sua vida, apesar de tudo no final será encerrado num caixão e atirado numa fossa."

O beijo e outras histórias
A dama do cachorrinho e outros contos
Um homem extraordinário [e outras histórias]
A dama do cachorrinho [e outras histórias]
As três irmãs + O beijo e outras histórias

Anton Pavlovitch Tchekhov
Leia trechos aqui




"É paradisíaca a escadaria de onde se assiste ao triunfo do Eterno."
O deserto dos tártaros
As noites difíceis
Naquele exato momento
Dino Buzzati | Leia trechos aqui






Os cem melhores contos brasileiros do século 
(Objetiva, 2000)
Vários, organizado por Ítalo Moriconi
Seleção dos 50 melhores contos aqui






"'Eu te odeio', disse ela para um homem cujo crime único era o de não amá-la. 'Eu te odeio', disse muito apressada. Mas não sabia sequer como se fazia. Como cavar na terra até encontrar a água negra, como abrir passagem na terra dura e chegar jamais a si mesma?"

Laços de família (releitura)
Clarice Lispector | Leia trechos aqui




"(...) O Robert tem uma teoria que ele considera absolutamente comprovada pela História, de que os religiosos são muito mais cruéis e prejudiciais à humanidade que os ateus, que só querem aproveitar a vida. E quem aproveita a vida não quer ver a caveira de ninguém. (...)"

O voo da madrugada
Sérgio Sant'Anna | Leia trechos aqui




"Enquanto espero, tudo é horizonte
e adivinho seu rosto antigo
na anatomia das pedras."

Correntezas e outros estudos marinhos
Lívia Natália
Leia trechos aqui





"(...) Em seus quartos escurecidos, os habitantes sentiam o desespero dos grandes cataclismos, as grandes convulsões terrestres, contra os quais eram inúteis a sabedoria e a força. (...)"

As grandes paixões
Guy de Maupassant
Leia trechos aqui




"Será possível que este homem, que agora se cruza comigo na rua, será possível que este rosto perfeitamente informe, que não conheço, que não evidencia nenhum traço mágico ou de força invulgar, será possível, enfim, que este rosto que é como que a repetição de milhares de outros rostos, este rosto interminável, porque grotescamente comum, será possível que por detrás deste rosto esteja um homem que deseja ser grande, e que acredita que isso ainda é possível?"

Aprender a rezar na era da técnica
A máquina de Joseph Walser
Um homem: Klaus Klump

Gonçalo M. Tavares | Leia trechos aqui




"(...) A idade talvez promova a conciliação universal – a velhice, esta tranquila proximidade da morte (e ele sorriu, misteriosamente vingativo, como se fosse ele a figura da foice, e não sua vítima), nos põe todos às portas da utopia. (...)"

O professor
Cristovão Tezza
Leia trechos aqui




"(...) Quem diz que tudo o que vai acontecendo na vida das pessoas não já aconteceu para elas muito tempo antes, e elas só têm que ir cumprindo as passagens marcadas, sem poderem desobedecer? (...)"

Melhores contos
J. J. Veiga
Leia trechos aqui





"(...) Vocês pensam que trabalho é castigo. É por isso que o Brasil não vai adiante."

Melhores contos
Orígenes Lessa
Leia trechos aqui




"(...) De repente fere-me a ideia de que o intruso talvez seja eu, que ele tenha mais direito de hostilizar-me do que eu a ele, que vive nesta casa há dezessete anos, sem a ter pedido ele a aceitou e fez dela o seu lar, estabeleceu intimidade com o espaço e com os objetos, amansou o ambiente a seu modo, criou as suas preferências e as suas antipatias, e agora eu caio aí de repente desarticulando tudo com minhas vibrações de onda diferente. O intruso sou eu, não ele."
Os cavalinhos de Platiplanto | J. J. Veiga | Leia aqui




"(...) todos os angolanos tinham alguma paranoia com armas ou armamentos, todos tinham um estória para contar que envolvia uma arma, uma pistola, uma granada ou pelo menos uma boa estória que envolvesse um tiro (...)"

Os transparentes
Ondjaki
Leia um trecho aqui





"Todos nós, animais de sangue quente, sabemos que tudo vai acabar."

Feliz ano novo (releitura)
Rubem Fonseca
Leia trechos aqui






"(...) seu destino mudara, embora continuasse o mesmo"

Brancos reflexos ao longe (releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui







"A certa altura, a moça reivindicou penetrá-lo."

Obscenas
Carlos Barbosa
Leia aqui






"Embevecido, passando e repassando os olhos ávidos nas minhas vestes em desalinho e nos cabelos em graciosos caracóis que se espalhavam sobre a testa pálida, sua excelência buscava sub-repticiamente devassar as minhas belezas escondidas. (...)"

Cemitério de elefantes
Dalton Trevisan | Leia trechos aqui






O cheirinho do amor — Crônicas safadas
(Cia das Letras, 2014)
Reinaldo Moraes









O prazer do poema – Uma antologia pessoal
(Edições de Janeiro, 2014)
Vários, organizado por Ferreira Gullar







"- Tá me paquerando?
- Não, por quê?
- Você piscou pra mim.
- É sono."

18 de maio, quanto tens por dizer...
Tarcísio Buenas
Leia trechos aqui




"Por mais alegre que eu me sentisse por causa de nossa decisão, me entristecia o fato de que eu nunca saberia o que poderia resultar da mistura de meus genes com os de John. Eu estava feliz por podermos conseguir um óvulo, mas triste por nenhum de nós ser capaz de produzi-lo; feliz por podermos afinal ter um filho, mas triste por causa da aura de produção industrial que permeava todo o processo. (...)"
Longe da árvoreAndrew Solomon | Leia trechos aqui





"(...) meu mundo era o eco dos meus passos sobre caminhos novos"

Três infâncias (releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui






"O Gordo tinha uma teoria: mulheres se deitam à noite com possibilidades e despertam pela manhã com frustrações. (...)"

Cidade singular (releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui






"Assombrava-me a afirmação de que o que acontece já aconteceu. De que o presente foi, o futuro é, e o passado será. De que o que se diz já foi dito. (...)"

O gol esquecido (releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui




"(...) Lá fora, ao vencer o corredor ensolarado e de cuja superfície, de cimento áspero, subia um indefectível odor de aridez, amuou-se, certo de que ia morrer, em breve. Talvez. Esta é uma possibilidade sempre presente, o forro da própria existência, o pouco de sentido que diariamente a envolve, sob os clarões do nada."

O enigma dos livros
Mayrant Gallo | Leia trechos aqui




"(...)  O amor familial, às vezes, veste trajes funéreos, escava fossos tremendos e dispara galope em direções opostas, quando tudo que ambiciona é estender braços e olhares sobre uma mesa de jantar e deixar escapar a verdade que o encorpa, pois todo o resto desimporta à sua existência incondicional. (...)"

Beira de rio, correnteza
Carlos Barbosa | Leia trechos aqui




"(...) o homem da espingarda refazia as armadilhas; senhor do dia e da noite, violava solidões, imprimia no barro liso das encostas, na lama fina das margens dos ribeirões, a marca do seu pé de dedos espalhados. (...) – Tem cara de assassino – diziam as mulheres."

A mulher na janela
Hélio Pólvora | Leia trechos aqui





"Eu sempre soube que, cedo ou tarde, o mar onde nasci me arrastaria para um inevitável mergulho no abismo."

Ladeiras, vielas & farrapos
Tom Correia
Leia trechos aqui





"(...) Naquele momento, Geraldo percebeu que nem ele, nem sua ex-namorada ou qualquer um dos seus amigos de juventude, mesmo os mais brilhantes, bonitos ou talentosos, escaparam da vida real e da sua mediocridade opressiva. (...)"

Um certo mal-estar
Victor Mascarenhas
Leia trechos aqui






Cegueira moral 
– A perda da sensibilidade na modernidade líquida
(Zahar, 2014)
Zygmunt Bauman e Leonidas Donskis






"Um domingo vazio, sem movimento. O sol, por entre os edifícios, projeta sombras contra ruas e becos. Não há sentido no espaço, nem no tempo, pois não há pessoas à vista; só artérias de sombras e luz, reflexos que, partindo das janelas, cortam o vazio, cruzam o ar e repousam no vácuo daquela tarde sem propósito"
As aventuras de Nicolau & Ricardo (releitura)
Mayrant Gallo | Leia trechos aqui




"(...) Para quem quer escrever algo que não seja lixo é fundamental ter a consciência de que tudo, absolutamente tudo, já foi escrito. (...)"

Memorial dos medíocres
Tom Correia
Leia trechos aqui





“Imediatamente, sentiu-se feliz por não ser o único ser vivo no mundo. Mesmo um gato era bem-vindo, e ainda que lá na fazenda, antes, ele vivesse se escondendo do bichano, com medo de ser devorado, e embora fosse este o único destino dos patos, mais cedo ou mais tarde — um estômago.”
Pato, Cachorro, Garoto e Minhoca
Mayrant Gallo | Leia trechos aqui





"(...) A afinidade entre a literatura de Jorge Amado e a música de Dorival Caymmi é anterior ao romance."

Caymmianos - personagens das canções de Dorival Caymmi
Marielson Carvalho
Leia trechos aqui





"Escondeu as moedas num furo do bloco, cobriu-as com papel e saiu como se não tivesse roubado a mãe."

Ficções ao mar
Georgio Rios
Leia trechos aqui




Sob um céu de gris profundo
Tom Correia
Leia trechos aqui

Muito antes da meia-noite
Cristiano Ramos
Leia trechos aqui

Gennesius – Histriônica epopeia de um martírio em flor
(Uesb, 2012)
Roberto de Abreu

Estante viva
(Via Litterarum, 2013)
Cleberton Santos

Arquivos de um corpo em viagem
Marcus Vinícius Rodrigues
Leia trechos aqui

Desordem
(Bookstorming, 2014)
Vários autores

O contrário de B.
Bruno Liberal
Leia trechos aqui

Olho morto amarelo
Bruno Liberal
Leia trechos aqui

Ao longo da linha amarela
João Filho
Leia trechos aqui

Outro livro na estante
Vários, organizado por Herculano Neto e Gustavo Felicíssimo
Leia trechos aqui

Encarniçado
João Filho
Leia trechos aqui

Um dia na cidade – Contos colaborativos
(All Print, 2015)
Vários, organizado por Nalini Vasconcelos

É pegar ou largar
Joana Rizério
Leia trechos aqui

Isadora, sua camisola La Perla e a Br
Catarina Guedes
Leia trechos aqui

Cantares de roda
(Via Litterarum, 2011)
Cleberton Santos

Aromas de fêmea
(Editora Oxente, 2013)
Cleberton Santos

Ave Noturna
Márcio Matos
Leia trechos aqui

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…