Pular para o conteúdo principal

Se os sentimentos falassem sozinhos

Carta que deu origem à música


Começo dos anos 1980. A filha vai morar longe, para estudar, primeira vez fora de casa. A universidade entra em greve, sente saudade da família, escreve uma carta singela, de uma página, para a mãe. Ao lê-la, a mãe chora um balde de lágrimas, senta-se ao piano e compõe uma música com o pedaço mais bonito da carta, que parece, de fato, um poema. Nasce Se os sentimentos falassem sozinhos, canção que eterniza o amor entre mãe e filha, entre Martha Anísia e Regina Rosa.


Das músicas que a mãe musicista compôs, o filho julga ser essa a melhor. O filho sempre a ouviu com muito carinho. E sempre a mãe pontuou: "não morro sem ver antes essa música no mundo!". Pois então, em 22 de julho de 2016, o filho produtor conduz a gravação de Se os sentimentos falassem sozinhos no estúdio Casa das Máquinas, o seu predileto, com a presença luxuosa do violão de Mou Brasil e a sanfona e piano de Tadeu Mascarenhas, dono do estúdio – únicos instrumentos selecionados pelo produtor, pois são os principais da sua mãe multi-instrumentista. Todos amigos, valiosos. E a amada nora da mãe, Sarah Fernandes, ainda registra o momento especial em fotos muito bonitas – veja aqui.


A mãe, com mais de 50 anos de música, e 78 anos de vida, vive a sua estreia profissional. E, mesmo sem ser cantora, Martha Anísia registra a sua voz, com todo o sentimento que vivenciara da primeira vez que leu a cartinha de amor da sua filha Regina Rosa. Um mês depois, o filho produtor, Emmanuel Mirdad, conclui a realização do sonho da mãe, ao colocar a música no mundo, via YouTube. Ouça abaixo:




Não consegue visualizar o player? Ouça aqui


Se os sentimentos falassem sozinhos
(Martha Anísia / Regina Rosa)

Se os sentimentos falassem sozinhos
Eu diria tanta coisa bonita
Mas as palavras vêm da cabeça
E é difícil a cabeça traduzir em palavras
O que vem do coração
Sabe o que é belo está além das palavras
A verdadeira comunicação é pura e direta
Tornar as palavras um instrumento do coração
É uma arte difícil
Mas quando o verdadeiro amor reina
Elas tornam-se desnecessárias

-----

Martha Anísia - Voz
Mou Brasil - Violão
Tadeu Mascarenhas - Sanfona e Piano

Produzido por Emmanuel Mirdad

Gravação, mixagem e masterização por Tadeu Mascarenhas no estúdio Casa das Máquinas, Salvador, Bahia, em 22 de julho de 2016.

-----


No vídeo abaixo, Martha Anísia explica a origem de Se os sentimentos falassem sozinhos:


 
Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

Comentários

Carlos Barbosa disse…
Muito bonito tudo isso. Parabéns. (carlos barbosa)

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…