Pular para o conteúdo principal

Seleta: Dub Burning Spear

Álbuns dub de Burning Spear participantes desta Seleta


Burning Spear é um dos mestres lendas vivas do reggae, em atividade desde os anos 1970, com vários discos lançados. O blog destacou uma Seleta com 98 canções presentes em 22 álbuns de sua vasta obra (ouça aqui), E, na Seleta de hoje, as 42 melhores faixas dub da obra de Burning Spear, do período de 1976 a 2008, na opinião do fã Emmanuel Mirdad, presentes em 07 álbuns disponíveis na página do artista no site Grooveshark. Para escutar, baixa clicar no player abaixo.



Não consegue visualizar o player? Ouça aqui


Repertório da Seleta Dub Burning Spear, de 1976 a 2008:

01) Cry Africa - Living Dub Vol. 2 (1980)

02) 2000 Years - Garvey's Ghost (1976)

03) John Burns Skank - Garvey's Ghost (1976)

04) World Dub - Living Dub Vol. 2 (1980)

05) I and I Survive - Garvey's Ghost (1976)

06) The Ghost - Garvey's Ghost (1976)

07) Teacher - Living Dub Vol. 2 (1980)

08) Black Wa-Da-Da Dub - Garvey's Ghost (1976)

09) Majestic Dub - Living Dub Vol. 2 (1980)

10) Farther East of Jack - Garvey's Ghost (1976)

11) Over All Dub - Living Dub Vol. 2 (1980)

12) Dread River - Garvey's Ghost (1976)

13) Reggae Dub - Living Dub Vol. 5 (2006)

14) Dub Move - Living Dub Vol. 5 (2006)

15) Want me To - Living Dub Vol. 5 (2006)


Burning Spear - foto daqui


16) Dub Liberty - Living Dub Vol. 5 (2006)

17) Hit Dub - Living Dub Vol. 5 (2006)

18) Security Dub - Living Dub Vol. 5 (2006)

19) Vision Dub - Living Dub Vol. 5 (2006)

20) Help Us* - Living Dub Vol. 1 (1979)

21) Associate* - Living Dub Vol. 1 (1979)

22) Dub it Clean - Living Dub Vol. 4 (1998)

23) My Island Dub* - Living Dub Vol. 4 (1998)

24) Dub Appointment* - Living Dub Vol. 4 (1998)

25) Jah Boto - Living Dub Vol. 1 (1979)

26) Present* - Living Dub Vol. 1 (1979)

27) Jah Dub* - Living Dub Vol. 4 (1998)

28) Dub African* - Living Dub Vol. 4 (1998)

29) Musiya* - Living Dub Vol. 1 (1979)

30) Dub is Free* - Living Dub Vol. 6 (2008)

31) Dub Not Guilty* - Living Dub Vol. 6 (2008)

32) Remember - Living Dub Vol. 3 (1996)


Burning Spear - foto daqui


33) Dub Rise Up* - Living Dub Vol. 6 (2008)

34) Dub We Feel It* - Living Dub Vol. 6 (2008)

35) Smart Dub - Living Dub Vol. 3 (1996)

36) Chanting Home - Living Dub Vol. 3 (1996)

37) Dub Dready* - Living Dub Vol. 6 (2008)

38) Trust Dub - Living Dub Vol. 6 (2008)

39) Dub Creation - Living Dub Vol. 3 (1996)

40) Dub Ha Ha* - Living Dub Vol. 6 (2008)

41) African Dub - Living Dub Vol. 3 (1996)

42) Friendly Dub - Living Dub Vol. 3 (1996)

*No site está com o título errado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Melhores do jornal Rascunho #209

A multiplicidade da leveza e do riso Milan Kundera é capaz de unir em sua ficção ensaio irônico, narrativa, fragmentos autobiográficos, fatos históricos, arroubos de fantasia [Vivian Schlesinger] Leia aqui
-----

Resgatando obras Jamil Snege e a potência lírica de "O jardim, a tempestade" [Nelson de Oliveira] Leia aqui
-----

Clarice no espelho O leitor corre sérios riscos diante do texto de Clarice Lispector [José Castello] Leia aqui
-----

To be or not to be: that is the question (Nova proposta de tradução) [Evando Nascimento] Leia aqui
-----

A forma deformada Os poemas de "A retornada", de Laura Erber, parecem dignificar a experiência traumática [Rafael Zacca] Leia aqui
-----

No jardim das delícias Bissexualidade, preconceito e consciência de classe e de gênero marcam a escrita autobiográfica de Katherine Mansfield [Giselle Porto] Leia aqui